23 de ago. de 2021

Saúde mental: Sequelas, COVID longa e Pós COVID


Saúde mental: Sequelas, COVID longa e Pós COVID

A novidade coletiva de 2020, que parou o mundo foi a COVID19, pouco conhecida e cheia de desafios, se alastrou pelo mundo em meses e em pouco tempo nos vimos em meio a uma pandemia nunca vivida no mundo. Após quase dois anos, cansados, enlutados e movidos pelas incertezas, exposto as mais absurdas noticias televisivas, cá estamos nós experimentando as consequências biopsicossociais, econômicas, políticas e ideológicas desta doença complexa.

Há um consenso mundial, a nossa qualidade de vida e saúde mental estão mais comprometida por conta da pandemia. Dos milhões de recuperados, pelos menos 80% carregam as sequelas e consequências da COVID, que segundo especialistas podem durar semanas, meses ou anos. O que no início era vista como uma doença de inflamação localizada, agora já se sabe que se trata de uma inflamação generalizada, que tem afetado diversos órgãos e sistemas do nosso corpo, inclusive o cérebro.

Fadiga, dores no corpo, faltar de ar, dores de cabeça, são apenas algumas das sequelas físicas deixadas pelo COVID, entre as sequelas mentais, que ocorrem em decorrência da inflação generalizada e a falta de oxigenação no cérebro, temos: depressão, ansiedade, estresse, insônia, dor crônica, perda da memória e dificuldade de concentração.

Os cuidados multiprofissionais voltados para as pessoas sequeladas, e para muitos que foram infectados pela COVID, é URGENTE. Estas pessoas precisam de cuidados físicos e mentais, ou seja, além do médico, cardiologista, neurologista e outros, é necessário o psiquiatra e o psicólogo, configurando assim um cuidado integral.

Bem, além destes desafios, ainda enfrentamentos outras crises em tempos de pandemia: a crise na saúde, economia, política, e porque não dizer a crise espiritual além dos diversos conflitos existências, que tem chegado até nós. E sem falar na crise da humanidade, esta que dizemos que é em relação ao outro, sim o egoísmo e o individualismo, estão em ALTA, que em conjunto com a péssima distribuição de renda no Brasil e os subempregos, tem contribuído com toda esta desumanização. 

Diante de tantos problemas e desafios, só poderíamos esperar uma população mais fragilizada e com muito medo. Sorte a nossa quem em meio a crise, assim como os maus e os oportunistas se revelam, se revelam também as pessoas boas de verdade, aquelas que não tem falsidade e interesses obscuros, que ajudam o próximo, doam tempo, dinheiro, ombro amigo e suas orações. Ainda que exista o inferno e seus demônios, existe também um céu repleto de anjos, e isto ainda gera esperança nos corações bondosos que continuam, em meio a crise, espalhando mensagens de vida após a crise, daqui há algum tempo ao invés de focarmos tanto na COVID, estaremos dando ênfase a COVIDA e todos os seus benefícios. 

Acesse estes links e saiba mais : )

COVID longa
https://saude.abril.com.br/medicina/sindrome-pos-covid-como-detectar-e-tratar-os-sintomas-mais-persistentes/

Impactos na saúde mental das pessoas que tiveram COVID
https://portal.fiocruz.br/noticia/artigo-analisa-os-impactos-da-covid-19-na-saude-mental

Guia de saúde mental
https://www.pfizer.com.br/sites/default/files/inline-files/Guia-de-Saude-Menta-%20pos-pandemia-Pfizer-Upjohn.pdf

Na reabilitação do pós COVID é importante o suporte psicossocial
https://www.saude.go.gov.br/files//conecta-sus/produtos-tecnicos/II%20-%202020/COVID-19%20-%20S%C3%ADndrome%20P%C3%B3s%20COVID-19%20Reabilita%C3%A7%C3%A3o.pdf

OMS Afirma: é importante expandir nosso entendimento da síndrome pós-COVID-19
https://iris.paho.org/handle/10665.2/54313

OMS e preocupações com a síndrome pós COVID
https://www.istoedinheiro.com.br/oms-profundamente-preocupada-com-a-sindrome-pos-covid/

10 de ago. de 2021

As palavras tem poder: Alcoolista ou Alcoólatra?


As palavras tem poder: Alcoolista ou Alcoólatra?

Qual o termo correto que usamos para definir uma pessoa que faz uso abusivo de álcool? Alcoólatra, Dependente de álcool, Alcoolista, Bêbado/Bebum?

O termo correto é pessoa dependente de álcool! A pessoa que consome bebidas alcoólicas de forma excessiva e frequente, ao longo do tempo, desenvolver a dependência do álcool, condição esta conhecida como alcoolismo. Os termos que devem ser evitados são “alcoólatra”, “alcoolista”, “alcoólico” ou “bêbado(a) ou bebum.

Alcoólatra faz referência a quem idolatra o álcool, enquanto alcoolista identifica quem tem afinidade com o álcool da mesma forma que um torcedor tem afinidade por seu time, alcoólico significa o que contém álcool, estes termos emergem de uma cultura com graves distorções sobre o termo e que muitas vezes são reforçados pela mídia. Apesar dos termos, em português, “alcoólatra” e “alcoolista”, continuam sendo usados, em diversas publicações por diferentes autores, equivalendo em geral a “dependente de álcool”.

A expressão mais adequada cientificamente, é dependente de álcool.

Bêbado(a) ou bebum, são termos pejorativos, que reduz a pessoa ao comportamento de beber, e conferem uma identidade e impõem um estigma (marca negativa), que anula todas as outras identidades do sujeito, tornando-o tão somente aquilo que ele faz e que é socialmente condenado. É importante tomarmos cuidado com o uso destas palavras preconceituosas, elas têm o poder de conferir identidade e, assim, estigmatizar publicamente, reduzir uma pessoa a uma única condição, apagando, negando todas as demais identidades, como mãe, pai, amigo ou trabalhador.

A discriminação e a estigmatizarão compromete a autoestima, a esperança e a vinculação com as pessoas e serviços de cuidado, agravando-se na medida em que a dependência avança. A estigmatizarão dos dependentes de álcool ou outras drogas só os afasta dos tratamentos e joga neles a responsabilidade única e exclusiva, por problemas sociais dos quais eles são mais frequentemente vítimas do que causadores.

Referência

SUPERA. Sistema para detecção do uso abusivo e dependência de substâncias psicoativas: Encaminhamento, intervenção breve, Reinserção social e Acompanhamento. (UNIFESP)


9 de ago. de 2021

ALCOOLISMO & COVID19 & VIOLÊNCIA


ALCOOLISMO


Benjamim Rush disse “beber começa como um ato de liberdade, caminha para o hábito, e finalmente se afunda na necessidade”


COMO TUDO COMEÇOU ...

O uso do álcool é reconhecido desde os tempos pré-bíblicos e somente na virada do século XVIII para o XIX e após a revolução industrial, que começamos a falar sobre o beber nocivo ou uso excessivo do álcool como prejudicial à saúde, uma condição clínica.

Até o século XVIII a produção do álcool era artesanal, o processo de fermentação de bebidas como o vinho e a cerveja. Com a revolução industrial inglesa foi iniciado a destilação das bebidas fermentadas, possibilitando o aumento da concentração de álcool nestas bebidas. Em conjunto com a urbanização, novas relações sociais, o álcool passou a ter importante papel na vida das pessoas, pois muitas passaram a consumir o álcool com mais frequência e em maiores quantidades.

Foi neste período que a classe médica passou a notar diversas complicações físicas e mentais causadas pelo alto consumo de álcool, após avaliarem que 30% das pessoas internadas em instituições psiquiátricas faziam consumo excessivo de álcool. Após este período começamos a pensar no alcoolismo como doença complexa, progressiva e crônica, influenciada por diversos fatores. A partir daí desenvolvemos a compressão de padrão de consumo (experimental, ocasional, frequente e persistente), a cronicidade da doença (aguda ou crônica), e a sua etiologia multifatorial (hereditária, ambiente social e familiar, personalidade, mídias).

Após 1960 o termo alcoolismo foi cunhado e associado a critérios clínicos, como por exemplo: beber excessivo, tolerância, síndrome de abstinência, perda do controle e diversos prejuízos físicos, mentais e sociais.


ALCOOLISMO, DOENÇAS E VIOLÊNCIA

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), alcoolismo é uma doença crônica capaz de levar a outras complicações médicas e psiquiátricas; tais como: cirrose, hepatite, depressão, ansiedade, ciúme patológico, delírios.

Quando falamos em alcoolismo nos referimos a uma condição em que a pessoa faz constantemente o consumo descontrolado ou abusivo de álcool. Aos poucos, o organismo desta pessoa perde a sensibilidade ao álcool, e a pessoa passa a fazer o uso de quantidades cada vez maior (tolerância), e na falta do álcool desenvolve a abstinência (sintomas provocados pela falta do álcool no organismo), quando este uso se torna progressivo, compromete o funcionamento geral do organismo.

O uso de bebida alcoólica é estimulado na maioria dos países e no Brasil cerca de 10% da população sofre com o alcoolismo. Os homens correspondem a 70% dos casos, enquanto as mulheres correspondem a 30%. A bebida alcoólica é de fácil acesso e muitas vezes de baixo custo, e outro ponto importante é a influência das mídias sociais que ao longo do tempo associaram o uso do álcool com prazer, saúde e sucesso, omitindo os prejuízos que o uso abusivo causa para a pessoa (doenças físicas e mentais), na família (destruição dos laços), no trabalho (baixa qualidade e produtividade, conflitos, licenças e aposentadoria precoce) e para a sociedade (aumento dos custos com a saúde pública).

As consequências do alcoolismo muitas vezes são irreversíveis, e os prejuízos são diversos, em decorrência dos muitos seus efeitos, tempo da doença, volume consumido, e qualidade do álcool. Outro ponto importante é que as bebidas alcoólicas possuem o que chamamos de “calorias vazias”, por serem pobres em vitaminas e minerais.

O álcool encontrado nas bebidas é o etanol, uma substância resultante da fermentação de elementos naturais. O álcool da aguardente vem da fermentação da cana-de-açúcar, e o da cerveja, da fermentação da cevada. Quando ingerido, o etanol é metabolizado no fígado, digerido no estômago e absorvido no intestino, passa pela corrente sanguínea, suas moléculas são levadas ao cérebro.

A longo prazo o álcool prejudica todos os órgãos, em especial o fígado, que é responsável pela destruição das substâncias tóxicas ingeridas ou produzidas pelo corpo durante a digestão. Havendo uma grande quantidade de álcool no sangue, o fígado sofre uma sobrecarga para metabolizá-lo. O álcool no organismo causa inflamações, que podem ser: gastrite, quando ocorre no estômago; hepatite alcoólica, no fígado; pancreatite, no pâncreas; neurite, nos nervos; no cérebro alteração de várias funções como por exemplo memória, atenção, juízo crítico e reflexo.

Grande parte dos acidentes de trânsito, arruaças, comportamentos antissociais, violência doméstica, ruptura de relacionamentos, acidentes e problemas no trabalho, suicídios estão associadas ao consumo excessivo do álcool.


PRECONCEITO E BEBER DE BAIXO RISCO

Devemos evitar o uso de termos preconceituosos em relação as pessoas com problemas com álcool, tais como: pinguço, bebum, cachaceiro, alcoólatra, esponja de pinga; pois estes termos fortalecem a baixa autoestima do alcoolista, inibe a sua motivação em parar o consumo excessivo, e não contribui para a sensibilização sobre a importância de uma tratamento adequado.

As mulheres são mais vulneráveis aos efeitos do álcool do que os homens devido a diferenças biológicas e hormonais, além terem menor quantidade de água presente no corpo. Tudo isto faz com que a substância fique muito mais concentrada em seu organismo. Elas também apresentam menores níveis das enzimas que metabolizam o álcool, demorando mais para eliminá-lo do organismo. Quando falamos em beber de baixo risco e gênero, aconselhamos que os homens não consumam mais de 14 unidades por semana de bebidas alcoólicas, e as mulheres não consumam mais de 7 unidades por semana. A unidade de álcool ou dose será particular de cada bebida, por exemplo, quando falamos em cerveja, uma lata (350ml) desta bebida possui 17 (g) de álcool puro o que equivale a uma unidade e meia, se falamos de vinho, um cálice de 90 (ml) possui 11 (g) de álcool puro o que equivale a uma unidade, e se falamos de destilados (40 ml pinga ou vodca) possui 20 (g) de álcool puro o que equivale a duas unidades.


PORQUE AS PESSOAS DEMORAM TANTO PARA BUSCAR AJUDA QUANDO TEM PROBLEMA COM O ÁLCOOL?

O alcoolismo é uma doença mental e comportamental progressiva, ou seja, é uma doença que vai se desenvolvendo ao longo da vida, geralmente se inicia na adolescência raramente na infância. No geral a nossa sociedade tem dificuldades de reconhecer e aceitar os problemas mentais, tais como depressão e ansiedade, e não é diferente com o álcool, que na sua maioria é considerado uma bebida legal, presente no dia a dia de diversas famílias, a depender da dinâmica e cultura que cada família, consumir álcool em certas quantidades não será visto como problema, o problema só é reconhecido, após um tempo e com a chegada de diversos problemas do tipo: perda de emprego, problemas legais, acidentes de carro ou moto, violência doméstica ou na rua.

Eu acredito que nós, os profissionais da saúde especializados no tema, temos a responsabilidade de promover informação e orientação a população em geral, contribuindo para uma melhor compreensão sobre os sinais e sintomas que indicam uso abusivo e ou dependência. Lembrando que o diagnostico sempre deverá vir de um profissional especializado. 

Neste sentido devemos ficar atentos aos seguintes sinais: desejo incontrolável para ingerir bebidas alcoólicas; depois que começa a beber a pessoa não consegue parar ou mesmo reduzir o ritmo de consumo; necessidade de altas doses de álcool para poder sentir o efeito da bebida; problemas no trabalho ligados ao álcool; problemas legais como acidentes e brigas violentas no transito e violência doméstica; ansiedade; depressão; nervosismo e delírios. 

É importante que o diagnóstico seja realizado por um profissional de saúde especializado para compreensão do padrão de consumo, dos prejuízos adquiridos e construção de um plano de tratamento adequado as necessidades singulares de cada pessoa avaliada.

Vale lembrar que oferecer bebida alcoólica para  menores de 18 anos é crime, respaldado pela lei federal 13.106/2015, a pena para quem violar essa regra é de dois a quatro anos de prisão seguida de multa que vai de R$ 3 mil a R$ 10 mil.


COMO ENFRENTAR O PROBLEMA DO ALCOOLISMO

O primeiro passo é a informação correta sobre o tema, seguida da avaliação com especialista, que irá realizar acolhimento, avaliação inicial, orientação, encaminhamento adequados, tratamento e acompanhamento do caso. Os profissionais da saúde estão orientados a assegurar o sigilo e a confidencia de cada caso. 

O tratamento do alcoolista é personalizado as necessidades de cada um, e realizado por uma equipe multiprofissional (clínica médica, psiquiatra, psicólogo, nutrição entre outros que se fizerem necessários), e no tratamento deve estar incluído avaliação e apoio familiar, além da ajuda dos grupos de mutua ajuda como AA, NA e Amor exigente. O diagnóstico de alcoolismo não tem relação somente com o tipo e quantidade de álcool ingerido pela pessoa, mas também pela capacidade que a pessoa tem em controlar o consumo de bebida. 

Devemos lembrar que não existe consumo de álcool seguro, e precisamos conscientizar nas pessoas que consomem bebidas alcoólicas que beber e dirigir não combinam, usar o álcool para aliviar as tensões de diversos problemas não dá bom resultado, trabalhar e beber também não combinam, pois o álcool altera diversas funções cognitivas (memória, atenção, juízo crítico, reflexo) e comportamentais (deixar a pessoa mais inibida e sem limites).

A família e os amigos, são imprescindíveis no tratamento do alcoolismo, pois estão mais próximos do alcoolista e de suas necessidades. Neste sentido podem ficar atentos aos seguintes sinais: mudança na aparência, no humor, nos comportamentos, odores de álcool, faltas e atrasos frequentes no trabalho e compromissos, conflitos e brigas injustificáveis, problemas financeiros, conflitos familiares frequentes, sonolência e insônia frequente entre outros sinais que indicam prejuízos e alterações cognitivas (memória e atenção). 

No geral a triagem para identificarmos se as pessoas fazem uso abusivo de álcool, incluí algumas perguntas chaves:

§ você já sentiu que deveria diminuir a quantidade de bebida consumida?

§ você fica irritado quando criticam o seu hábito de beber?

§ você já se sentiu mal ou culpado por causa da sua forma de beber?

§ você já tomou bebida alcoólica pela manhã para “aquecer” os nervos ou para se livrar de uma ressaca?

Se uma das perguntas tiver a resposta sim, é sinal de que é preciso investigar a questão de forma mais aprofundada, e apenas um “sim” a algumas dessas perguntas já sugere um possível problema.

O contexto atual que estamos vivendo, a pandemia-covid19, esta nova realidade que nos foi imposta, deixou todos nós mais sensíveis, e já é consenso de que os casos de depressão, ansiedade, insônia, estresse e alterações no apetite, aumentaram, e para lidar com estas questões e toda complexidade do que estamos vivendo, o que inclui incertezas muitas pessoas aumentaram o padrão de consumo de álcool e cigarros, numa tentativa de aliviar as tensões, lidar com  este cenário cheio de desafios. 


Referências






27 de jul. de 2021

O SUS é o melhor plano de saúde público!


O SUS é o melhor plano de saúde público!

Como percepção construída sobre status, poder e dinheiro influenciam as crenças que desenvolvemos sobre nós, o outro e o mundo. Se uma pessoa é diarista ou empregada doméstica no Brasil, nas maioria das vezes, é inferiorizada ou se sente inferior em relação a outros trabalhadores. Mas se uma pessoa é diarista ou empregada doméstica nos Estados Unidos ou na Europa, a coisa muda de lado, pois ela tende a se sentir mais importante que as pessoas que fazem esta mesma atividade no Brasil, e ai haja postagens nas redes sociais sobre o trabalho realizado cheio de pomba e estrelas.

Mas a realidade, independente de país em que estamos, todas as profissões e todos os tipos de trabalho em qualquer país no mundo, são importantes e necessários e deveriam ser valorizados e bem remunerados. Mas a falsa percepção, com todas as suas influencias, de que um tipo de trabalhado ou trabalhador é inferior ao outro, é o que faz com que as pessoas entrem num ciclo de autoinferiorização e autodesvalorização. E esta percepção distorcida não é só sobre as profissões mas é também sobre os serviços públicos de saúde.

Que serviço de saúde você está falando? O SUS, é claro. É como se as pessoas que usassem o SUS fossem inferior aquelas que tem seus planos de saúde, nos seus mais diversos níveis de graduação: prata, ouro e diamante. É claro que tenho consciência da precariedade e sucateamento que muitos serviços públicos de saúde enfrentam, em diversos lugares no Brasil, e isto além de triste é revoltante, mas ainda assim, eu gosto demais do SUS.

Deus me deu a oportunidade de me formar em psicologia, fazer pós graduação em terapia cognitivo comportamental, dependência química, gestão pública entre outras formações, que me levando a mergulhar nas questões de saúde publica, além da oportunidade de ser funcionária pública também. É esta experiência acadêmica e profissional que me ajuda a compreender o SUS e contribuir com a desconstrução de algumas ideias distorcidas sobre ele. Para mim o SUS é o melhor plano de saúde pública do mundo, sim eu já usei muito o SUS, e continuo usando seus serviços mesmo tendo uma plano de saúde como servidora.

O Sistema Único de Saúde (SUS) é uma linda conquista do povo brasileiro, garantido pela Constituição Federal de 1988, artigo 196, fortalecido pela Lei nº. 8.080/1990, um plano de saúde que atende mais de 190 milhões de pessoas. E quem paga o SUS, somos nós, o povo brasileiro através do pagamento dos nossos impostos. Mas eu pago imposto? Sim! Quando você compra um pão na padaria, um quilo de carne no açougue, um salgadinho para seu filho, parte do valor de tudo do que você compra é recolhido (imposto), e destinado a saúde pública, ou seja, o pagamento do SUS.

O SUS é um guerreiro, nasceu em meio a diversas pressões e movimentos sociais, que graças ao bom DEUS, e a todas as pessoas envolvidas nesta luta, nos ajudou a entender que saúde é um direito de todos e dever do Estado, e digo mais, saúde não é só ausência de doença, pois tornou-se um conceito amplo e complexo. Antes do SUS o acesso a saúde só era possível pela previdência social (trabalhadores), filantropia (caridade) e planos de saúde particular.

Se você quer conhecer o resumo da história da saúde pública no Brasil até a consolidação do SUS acesse este link < https://www.saude.mg.gov.br/images/noticias_e_eventos/00_2015-maio-junho/30-06_historia-do-sus.pdf >.

Conhecer o SUS, possibilita ajudar nas melhorias deste sistema é um direito e dever inegociável de todo povo brasileiro. Como podemos fazer isto? Por exemplo, usando o SUS, fazendo denúncias, críticas e sugestões, fazendo uso dos seus canais de comunicação como a ouvidoria direta do SUS < https://www.gov.br/saude/pt-br/canais-de-atendimento/ouvidoria-do-sus >.

O SUS é organizado por princípios e diretrizes, como por exemplo, a universalidade, que significa que todos(as) devem ter igual acesso a ele, sem qualquer discriminação (raça/etnia, orientação sexual, identidade de gênero, região/procedência, estrangeiros/as). Ou seja, em qualquer lugar que você more, no Brasil, você tem direito aos serviços do SUS. A integralidade diz sobre o atendimento a todas as necessidades do povo brasileiro desde uma simples gripe ao tratamento de um câncer. A equidade, se refere a prioridades, sim todos devem ser atendidos, mas é necessário priorizar os casos mais graves/urgentes, ou as populações mais vulneráveis, aqui estamos falamos de justiça social.

A participação popular e controle social, é essencial, todos nós podermos auxiliar o governo a aplicar os recursos públicos para área de saúde, da melhor forma possível (se que não é fácil, mas é necessário). E podemos fazer isto, participando de associações de bairros, conselhos de classe, sindicatos, conselhos locais, estaduais e nacional de saúde. Já a descentralização, é sobre o SUS ter a obrigação de chegar o mais perto de cada cidadão (ã), sem ter privilegiados. Na hierarquização, a ideia é organizar em níveis hierárquicos os recursos humanos, materiais e financeiros, uso racional, inteligente e justo. 

É ai quem pode usar o SUS? Todos (as) os (as) brasileiros (as)! Porque todos nós contribuímos com os nossos impostos para que ele funcione. As ações do SUS são diversas e englobam, por exemplo, o controle de qualidade da água potável, a fiscalização de alimentos pela da Vigilância Sanitária (supermercados, lanchonetes e restaurantes), assiduidade dos aeroportos e rodoviárias, regras de vendas de medicamentos genéricos, campanhas de vacinação, doação de sangue ou leite materno, procedimentos médicos de média e alta complexidade, quimioterapia, transplante de órgãos, entre outros.

Como se dá a entrada do cidadão(ã) no SUS? Pela Unidade Básica de Saúde (UBS), esta unidade gerencia a saúde do seu município e está ligada a prefeitura local, assim é possível mapear as pessoas da região e suas necessidades. É importante que todas as pessoas da região tenha o cartão do SUS, e para fazê-lo é muito simples, basta dirigir-se a UBS da sua região munido dos seguintes documentos: RG, CPF, certidão de nascimento ou casamento e comprovante de residência (conta de água, luz ou telefone). Este cartão possui um número e/ou uma cor para identificar a equipe da Estratégia da Saúde da Família (ESF) da qual as pessoas fara parte. O USO DO CARTÃO FACILITA A MARCAÇÃO DE CONSULTAS E EXAMES E GARANTE O ACESSO A MEDICAMENTOS GRATUITOS.

Lembre-se o Cartão do SUS ou Cartão Nacional de Saúde é um documento gratuito que reúne dados sobre quando e onde você foi atendido em toda rede de saúde pública. Você também pode se cadastrar no CONECTESUS <https://conectesus.saude.gov.br/home>, realizar o seu cadastro para acompanhar todo seu histórico de saúde e ainda ter acesso a todos os serviços de saúde que você tem direito. Na UBS da sua região você irá receber atendimentos básicos e gratuitos em Pediatria, Ginecologia, Clínica Geral, Enfermagem e Odontologia, encaminhamentos para outras especialidades clínicas além do acesso a medicação gratuita.

Já a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) é um equipamento de complexidade intermediária com o objetivo de diminuir as filas nos prontos-socorros dos hospitais. Na UPA você terá acesso a raio-X, eletrocardiografia, pediatria, laboratório de exames e leitos de observação. Procure a UPA em casos de urgência e emergência, ela fica aberta nos feriados e finais de semana quando a UBS está fechada. Na UPA você encontrará consultórios de clínica médica, pediatria, odontologia, serviços de laboratório e raio-x além dos leitos de observação para adultos e crianças.

Vale ressaltar que o encaminhamento para um hospital da rede do SUS, se dará quando o atendimento de saúde for especializado, de média ou alta complexidade, como cirurgias, tratamentos clínicos de acordo com cada especialidade. Antes de ser encaminhado para o hospital, é necessário ser atendido por uma UBS ou UPA.

Como você pode ver o SUS é plano de saúde completo que atende as diversas necessidades de saúde da nossa população. Precisamos desconstruir todos os preconceitos sobre o uso deste sistema, e fortalecer a importância dele para toda a nossa sociedade. O SUS é uma conquista maravilhosa, um direito garantido e necessário. 

Espero que a partir deste breve relato, você se sinta mais motivado (a), em fazer parte do grande grupo de pessoas que primam pela valorização do SUS, pelo seu fortalecimento e enriquecimento.

Fique a vontade para deixar seus comentários, sempre que dá leio e respondo todos. 

Saiba mais em:

Ministério da Saúde


Secretaria do Estado de Saúde – MG


SUS - Jairnilson Silva Paim


Currículo & Cursos Gratuitos


Currículo & Cursos Gratuitos

Estamos em uma época em que as tecnologias estão muito avançadas, a velocidade dos meios de comunicação é incrível, e a possibilidade de acesso a diversos tipos de informação e conhecimento são múltiplas. A maioria de nós sabe, ao menos um pouco, sobre os pros e contras da tecnologia, mas todos temos que concordar com uma coisa, ela veio para ficar e mudar radicalmente a vida de muitos.

As tecnologias deixaram o mercado de trabalho mais exigente, e as pessoas que almejam um crescimento pessoal e profissional, devem correr atrás das melhores formas de ampliar seu conhecimento e entendimento sobre os assuntos mais importantes para sua vida pessoal ou carreira.

Acesso a conteúdo de qualidade deveria ser um direito de todos, afinal conhecimento é poder, e não status e nem deve ter um caráter segregacionista. Conhecimento é poder, pois dá a pessoa que o acessa diversas possibilidades, de crescer, de melhorar como pessoa, de contribuir através de seus talentos e habilidades, de levar os menos favorecidos a lugares melhores e maiores, poder de mudar a si e o mundo a sua volta para melhor.

Então, não despreze os cursos e capacitações gratuitos, muitos tem qualidade e são bem relevantes para muitas pessoas, e podem contribuir com o desenvolvimento pessoal e profissional de todos. Lembre-se de guardar as certificações ou comprovantes dos que fizer, use a carga horária para incrementar o seu currículo ou desenvolva um portfólio de apresentação da sua trajetória de desenvolvimento pessoal e profissional.

Segue uma lista com algumas instituições que oferecem cursos e capacitações diversas e com boa qualidade:






























20 de jul. de 2021

Uma psicóloga na onda da Amway e da RENDA EXTRA!


Uma psicóloga na onda da Amway e da RENDA EXTRA!

Sou psicóloga é penso que muitos de nós, psicólogos (as), temos esta tendência ao empreendedorismo, o que é muito interessante. Já há um tempo surgiu em mim o interesse em aumentar a minha renda, devido à CRISE financeira gerada pela PANDEMIA-COVID19, e algumas experiências com pessoas me incentivando a sair da zona de conforto para ganhar mais dinheiro. Sou servidora pública, e sabemos a maioria de nós não ganha muito bem, e a clinica particular, devido a pandemia-covid19, ficou bem fraca. A princípio PENSEI em o que fazer a partir da minha formação e experiência profissional, como ajudar pessoas por meio de serviços significativos e ao mesmo tempo conseguir algum valor de forma legal e limpa, e lá vai eu pensar em serviços e produtos psicológicos relevantes ou outros serviços e produtos interessantes.

Esta necessidade pessoal me levou a pesquisar sobre *trabalho legalizado em casa*, como *ganhar dinheiro na crise*, como fazer *negócio para ganhar dinheiro online* etc. Me deparei com um mundo de possibilidades. Descobri que há diversos modelos de negócios, várias propostas de trabalho, que neste meio circula também as *falsas propostas* o *roubo de dados e de dinheiro*, dos menos avisados, ou seja, valeu fazer pesquisa, ainda que ela não tenha sido muito apurada, afinal fazer mudanças é algo muito sério, e devemos ter cuidado com a impulsividade ou a fantasia de ficarmos ricos de modo rápido e fácil. Afinal o mundo da *RENDA EXTRA* é mais profundo e complexo do que muitos imaginam. 

Bem, eu entendi que o primeiro passo era pesquisar e estudar sobre este mundo da *RENDA EXTRA*, que a princípio parece fácil, mas não é, mas é possível. Após breve pesquisa e estudos, decidi partilhar neste blog um pouco desta minha experiência e espero que ela ajude você que tem pensado sobre este assunto também. Afinal como toda trajetória profissional devemos mergulha no autoconhecimento pessoal e profissional, traças metas e objetivos, buscar ajuda de pessoas mais experientes, se familiarizar com o modelo de negócio e área escolhida, para iniciar a tão famosa RENDA EXTRA, além de uma boa aplicação de energia na trajetória empreendedora, e é claro, se possível fazer o que gosta e acredita.

Eu fui pesquisar sobre as *Empresas de Vendas Diretas*, uma delas é a Amway, mas ao final deste texto eu citei outras. Eu entendi que é necessário conhecer o modelo de negócio de cada empresa que está neste ramo, além de pensar bem se é este caminho mesmo que iremos traçar, não que não tenha volta, tem, mas é bem saudável investir energias, tempo e dinheiro no que a gente tem afinidade e acredita. No geral muitos dos que já trabalham com os produtos desta empresa garantem sua qualidade, alguns dizem *é simples ganhar dinheiro*, mas não é fácil pois é necessário identificação com a proposta da empresa e muito trabalho.

A AMWAY é uma *empresa de vendas diretas* que produz diversos produtos e serviços, atua em diversas partes do mundo com um sistema de trabalho denominado de *Network Marketing* ou marketing de rede ou multinível. É reconhecida internacionalmente como a maior empresa de *Network Marketing de vendas diretas do mundo*, possui mais de três milhões de distribuidores espalhados em diversos países.

Para se tornar um representante/distribuidor Amway, a pessoa interessada deve ser patrocinada por um outro distribuidor autorizado, ou seja assim que a gente se cadastra no site como *empresário aprendiz* eles já nos indicam para um representante/distribuidor da nossa região que muito rapidamente entrar em contato para orientar sobre o plano e assinatura de um contrato com a companhia. Uma vez preenchido e assinado o contrato de distribuição, ele será enviado à Amway do Brasil com sede em São Paulo, e assim a pessoa se torna um representante/distribuidor/consumidor dos produtos da Amway, tendo um cartão de identificação. Este contrato é uma espécie de *franquia individual*, sua renovação é anual e dá ao representante/distribuidor/consumidor o direito de encerrar esta parceira quando quiser sem qualquer prejuízo.

O representante/distribuidor não se torna um funcionário da Amway, e segundo a empresa ele possui liberdade para organizar-se e trabalhar de acordo com o seu ritmo, estabelecendo suas próprias metas. O que significa que a princípio o representante/distribuidor/consumidor Amway pode dedicar apenas algumas horas ao seu negócio ou trabalhar tempo integral. Bem, já descobri que na pratica não é bem assim, mas vamos seguir lendo.

A partir do momento em que a pessoa interessada torna-se representante/distribuidor/consumidor da marca deve fazer uma lista com nomes de pessoas de suas relações (parentes, amigos, conhecidos), oferecer-lhes seus produtos ao mesmo tempo que lhe apresentar o plano de negócios, também chamado de *a grande oportunidade de negócios Amway*. Trata-se, segundo a empresa, da oportunidade de se *obter segurança financeira em um prazo de dois a cinco anos*. Ao vender seus produtos através de uma rede de representantes/distribuidores/consumidores, recrutados através de mecanismos de persuasão e motivação.

Ou seja, a Amway é uma fábrica legalizada que vende produtos legalizados direto ao consumidor dando 5% desconto nos produtos comprados direto com eles, já para os interessados em ser representante/distribuidor/consumidor a captação pode ocorrer também através do cadastro no site da marca, a pessoa cadastrada se tornar uma espécie de *empresário aprendiz*, que estará sempre ligado a uma rede, e poderá adquirir os produtos da marca com até 30% de desconto para distribuir/consumir/vender. Ao se tornar uma *empresário aprendiz*, ou seja, representante/distribuidor/consumidor você poderá formar sua equipe de vendas, futuramente representantes/distribuidores/consumidores, e ganhar uma comissão para gerenciar esta equipe, é mais ou menos assim que vai se formando o que eles definem como marketing de rede ou multinível, ninguém fica sozinho, estão todos ligados.

A característica principal de empresas como este modelo de negócio é *vendas em rede*, e *seus vendedores* se tornam também *consumidores e distribuidores dos seus produtos*. Nossa mais eu tenho que consumir o produto que vendo? Sim! afinal você não pode vender um produto da qual não consumiria, isto indicaria que você não acredita no produto que vende. Ou seja, o representante/distribuidor/consumidor deve não só promover a venda desses produtos como *também atrair novos representante/distribuidor/consumidor para que se filiem à empresa*. Cada novo representante/distribuidor/consumidor ficará subordinado ao representante/distribuidor/consumidor que o trouxe à empresa, assim como os subsequentes trazidos por ele, e assim sucessivamente, vai se formando o *sistema de uma grande rede*.

Este *sistema de rede* é incentivado a participar de eventos anuais com caráter motivacional, encontros impressionantes, em lugares exuberantes, que por meio de diversas atividades fortalecem a doutrina da empresa e seu modelo de negócio, entre outros meios para alavancar nos seus representante/distribuidor/consumidor este desejo de uma vida prospera através deste tipo de trabalho ou modelo de negocio. Há também a construção de crenças de prosperidade e status por meio das ideologias transmitidas em toda esta rede, e um escalonamento social dentro da própria rede, que é o faz a gente sempre se lembrar da famosas pirâmides de riqueza (ilegais), onde quem está no topo ganhará mais e terá mais status e quem está na base, tipo faz um trabalho mais escravo. 

No entanto para esta empresa a Amway, este modelo de negocio, não é piramidal, é marketing multinível. Pois na estrutura e modelo existe esta escalonada de promoções e de ganhos baseados na meritocracia, empenho em relação as vendas, identificação filial com a doutrina dos negócios, compromisso com o consumo dos produtos da marca, um escalonamento por exemplo, expresso quando encontramos representante/distribuidor/consumidor nível bronze, prata, rubi, ouro e por fim diamante.

No geral, este modelo de negócio e estrutura não é interessante para mim, mas foi muito bem ter entendido a estrutura, pois pelo visto tem pessoas que se identificam com esta doutrina ou ideologia ou modelo de trabalho, e parece que se dão bem. Neste caso para mim valeu a lição da pesquisa, aprendizado e reflexão sobre meu ingresso no mundo da RENDA EXTRA ou EMPREENDEDORISMO.

Ressalto que para você que quer ingressar neste mundo, lembre-se é importante estudar as propostas, conhecer o mercado, entender seu próprio perfil profissional, avaliar se você tem um perfil mais empreendedor, se quer vender seus próprios produtos ou serviços, ou se tem interesse em vendas diretas, e por ai vai. 

No geral ficou a lição: prosperidade não vem de sonhos, sonhar sem metas e objetivos só geram frustração e desânimo, já que a tão sonhada prosperidade só é possível com muito trabalho, dedicação, associada a uma boa organização financeira e boas parcerias.

Quero enfatizar também, que trabalhar duro e com afinco é importante, mas sem deixar de lado, os cuidados com a saúde mental, física, social e espiritual, pois é este possível equilíbrio que fará com que a prosperidade seja completa e significativa.

No site da Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas ABEVD {https://www.abevd.org.br} entidade sem fins lucrativos, criada, em 1980, para promoção e desenvolvimento de venda direta no Brasil, bem como representar e apoiar empresas que comercializam produtos e serviços por meio do relacionamento com seus empreendedores independentes e consumidores finais, você encontrará informações sobre este mercado, além  de oferta de cursos, treinamentos e a apresentação dos modelos de negócio das empresas deste ramo. 

Lembre-se na internet, por exemplo no youtube, já existem canais de pessoas que estão neste ramo e partilham suas experiências, dando dicas bem interessantes. Ah! Entre as empresas de VENDAS DIRETAS ligadas ao conceito de RENDA EXTRA, temos além da Amway, a Herbalife, Yakult, Mary Kay, Avon, Natura, Jequiti, Embeleze, lá no site da ABEVD você encontrará mais nomes de empresas deste ramo. 

Espero que este post tenha sido útil para vocês, aguardo comentários. 

Referências usadas para compor o post

Quem é a Amway, a empresa que fez a Avon comer poeira

A circulação do discurso da Amway: do controle à prática discursiva

A dinâmica do marketing de rede: relações sociais e expectativas de um novo estilo de vida

Brasil é país foco de investimentos da Amway

História do marketing multinível e das pirâmides financeiras
https://jus.com.br/artigos/34002/historia-do-marketing-multinivel-e-das-piramides-financeiras

A circulação do discurso da Amway: do controle à prática discursiva
https://www.scielo.br/j/delta/a/CZNZCw3yrCLNXFYmvyYvZKF/abstract/?lang=pt

12 de jun. de 2021

Estratégias: Ativação e Rotina

As estratégias terapêuticas disponibilizadas e comentadas, neste BLOG, devem ser utilizadas dentro do processo terapêutico ou psicoterapêutico, aplicada por profissional especializado no instrumento e embasada em teoria psicológica. 

Esta ferramenta auxiliará na ativação comportamental das pessoas com sintomas da procrastinação, depressão, síndrome motivacional e ansiedade. Auxiliará na organização de uma rotina prazerosa e significativa.

Na depressão  o SLOGAN é Mesmo sem vontade vou fazer. 

Na ansiedade o SLOGAN é Organizar e Fazer mas não sobrecarregar. 

Na procrastinação o SLOGAN é Faça Agora. 

Estabelecer uma rotina saudável e criativa auxilia na regulação de diversos sintomas desagradáveis.  

Modelo explicativo, poderá ser copiado livremente, sempre personalize levando em conta as necessidades de cada cliente. 

Saúde mental: Sequelas, COVID longa e Pós COVID

Saúde mental: Sequelas, COVID longa e Pós COVID A novidade coletiva de 2020, que parou o mundo foi a COVID19, pouco conhecida e cheia de des...